Figuras de Movimento
Bordallo Pinheiro
Genialidade Intemporal

Bordallo Pinheiro sempre foi conhecido pela genuína sátira portuguesa que imprimia nas suas peças. Fruto deste trabalho são as suas autênticas figuras de movimento - estatuetas compostas por uma base e um corpo satírico tais como o Zé Povinho, a Alcoviteira entre outras, uma vez tocadas, repetem um movimento que quase lhes confere uma expressão de vitalidade, transmitindo a sua mensagem de forma vivificante. Algumas figuras têm dois movimentos: a cabeça e o corpo, outras apenas o corpo.

Nestas peças, Bordallo reproduziu figuras populares da época, de diferentes quadrantes sociais.

A empresa portuguesa Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro foi fundada no ano de 1884. À época, o propósito da criação da empresa foi reanimar as artes tradicionais da cerâmica e do barro. A originalidade do seu mentor, Rafael Bordallo Pinheiro, fez cruzar a arte de então com a modernidade de estilos que começavam a surgir; a isto juntou a sua genialidade e fez nascer a produção em série de peças que continuam presentes até hoje, na memória colectiva. Numa visita ao Museu e Loja da Fábrica Bordallo Pinheiro nas Caldas da Rainha, é impossí­vel não fazer uma viagem no tempo. Muitas das peças e dizeres espalhados por toda a parte, podiam muito bem ter sido escritos hoje mesmo!

Fundador: Rafael Bordallo Pinheiro

Figura incontornável da cultura popular portuguesa, Rafael Bordallo Pinheiro dominou como ninguém diferentes artes, deixando em todas elas o seu cunho de incontestável singularidade e irreverência. Na arte cerâmica, Bordallo Pinheiro criou inúmeras peças - azulejos, terrinas, esculturas, vasos, jarras, serviços de chá, paliteiros, floreiras e garrafas - alguns destes objectos persistem vivamente no nosso imaginário ainda hoje. Exemplo disso é a figura carismática do Zé Povinho, o serviço utilitário das Couves, as Andorinhas, entre tantas outras peças que tão bem caracterizam o espí­rito e a criatividade da Bordallo Pinheiro.

A fundação da Fábrica de Faianças Artí­sticas das Caldas da Rainha, em 1884, foi decisiva para a difusão da imaginação e engenho do Mestre Rafael Bordallo Pinheiro. Homem das artes, Bordallo Pinheiro dedicou boa parte da sua vida ao seu grande projecto: a Fábrica de Faianças Artí­sticas das Caldas da Rainha. Dedicou-lhe toda a atenção, desde a escolha da matéria-prima até à criação de uma escola primária, em pleno relvado da fábrica, para os filhos dos operários. Rafael Bordallo Pinheiro deixou-nos um legado cultural, histórico, artí­stico e de consciência social notável. Uma personalidade louvável que nunca é demais recordar.

Bordallo Pinheiro - 125 Anos de História

A Fábrica de Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro é detentora de um legado excepcional. Herdeira da Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, fundada em 1884 por Rafael Bordallo Pinheiro, e da posterior Fábrica Bordallo Pinheiro ou San Rafael, fundada em 1908 por Manuel Gustavo Bordallo Pinheiro. Recentemente adquirida pela Visabeira Indústria, a Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro representa um caso singular de experiência, história e saber fazer í­mpar em Portugal.

Actualmente, a empresa desfruta do saber de experiência comprovada, adquirida através das técnicas centenárias na reprodução dos seus modelos, dando continuidade à recuperação de uma herança inigualável. Para além da recriação das peças históricas, da autoria de Rafael e Manuel Gustavo Bordallo Pinheiro - pai e filho - a Visabeira, impulsionada pelo seu espí­rito inovador, cria também peças contemporâneas, conquistando assim outros mercados.

Hoje, a Bordallo Pinheiro é uma empresa histórica com os olhos postos no futuro. Produz faiança utilitária e ornamental, dando continuidade à obra do fundador da empresa mas, aplicando um toque de modernidade, e assim moldando as suas peças às necessidades dos nossos dias.
Para celebrar os 125 anos de existência, a Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro convidou sete artistas portugueses de renome e lançou-lhes um desafio: recriar uma peça exclusiva Bordallo Pinheiro. Os criadores contemporâneos convidados - Joana Vasconcelos; Henrique Cayatte; Fernando Brizio; Bela Silva; Suzanne Themlitz; Catarina Pestana e Elsa Rebelo - de alguma forma já estavam ou estiveram ligados à marca Bordallo Pinheiro.

Bordallo Pinheiro: Tradição e Modernidade

Actualmente, a Faianças Bordallo Pinheiro está pronta para enfrentar novos desafios. Dotada de uma unidade fabril moderna com 9.400 m2, 170 colaboradores e uma produção diária de 6.000 peças que preservam a tradição e o cuidado no fabrico. Exporta para os quatro cantos do mundo: Estados Unidos; Alemanha; França; Austrália; Canadá; Dinamarca; Holanda e Japão. Preserva o estí­mulo à criatividade, inovação e primazia da produção de faiança decorativa e utilitária, recorrendo aos motivos e ambientes tradicionalmente portugueses e adaptando-os às exigências actuais.

Pretende revitalizar, no mercado interno e externo, a loiça das Caldas da Rainha e o património artí­stico de Bordallo Pinheiro, com uma postura moderna e empreendedora. Mantendo os padrões de uma polí­tica de qualidade e rectidão com o passado e o presente, demonstra preocupações no reforço da sua identidade, oferta e qualidade. Tradição e modernidade associam-se na perfeição na Fábrica de Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro, eternizando um homem que, de uma forma irredutí­vel, juntou o humor e a arte na produção de faianças artí­sticas em Portugal.

Ficha Técnica

Nome da empresa: Faianças Artí­sticas Bordallo Pinheiro Lda.
Morada: Rua Bordallo Pinheiro, n.º 53 2500-246 Caldas da Rainha
Telefone: 262 839 830
Nomes dos Proprietários: Visabeira
Número de funcionários: 170
Ano de Fundação da Empresa: 1884
Site: www.bordallopinheiro.pt