Licor Beirão
Licor Beirão
O Licor de Portugal
O Licor de Portugal

A fórmula secreta do Licor Beirão foi criada no século XIX e mantém-se no segredo da famí­lia Redondo até hoje. É na Quinta do Meiral, na Lousã, que filho e netos do fundador fazem perdurar no tempo o mágico sabor e aroma deste licor. Parte das plantas e sementes aromáticas utilizadas no seu fabrico são produzidas na Quinta, permitindo o total controlo da sua qualidade. Os restantes ingredientes são importados de paí­ses como a Índia, Sri Lanka, Brasil e Turquia.

De cor âmbar e lágrima perfeita, o Licor Beirão é um produto português com um sabor doce e invulgar, que se funde com o seu aroma envolvente, obtido a partir de uma dupla destilação de plantas e sementes aromáticas. O Licor Beirão é preparado com produtos naturais, a partir de uma fórmula secreta criada no século XIX. É ideal para ser bebido como digestivo, puro ou com gelo, mas também é excelente para cocktails, conferindo-lhes o carácter, aroma e sabor que lhe são únicos.

Cor: Topázio

Aspecto: Lí­mpido

Aroma: Obtido a partir de uma dupla destilação de plantas e sementes aromáticas.

Sabor: Doce, envolvente e invulgar, a plantas e sementes aromáticas.

Idealmente deverá ser consumido como digestivo, simples, com gelo ou em cocktails. Excelente em doçaria.

Álcool: 22% Alc. Vol.

O Licor Beirão nasceu num mundo mágico e misterioso, de sentimentos doces e fórmulas secretas, que continuam a fascinar gerações, século após século. A empresa J. Carranca Redondo, Lda., é produtora do famoso Licor Beirão desde 1940, mas a história deste licor é bastante mais antiga. Ainda sem o apelido de Beirão, o licor já se fabricava, numa farmácia da vila de Lousã, há mais de um século.

A história do Licor Beirão: Uma História Mágica e Secular

Em entrevista ao Saudade, a famí­lia Redondo desvenda-nos um pouco da história do licor mais famoso de Portugal. Em finais do século XIX, um caixeiro-viajante de vinhos do Porto, de passagem pela Lousã, apaixonou-se pela filha de um farmacêutico, acabando o namoro em casamento. Na farmácia, para além dos medicamentos habituais, eram comercializados «licores naturais» segundo fórmulas antigas mantidas em segredo. Entretanto entra em vigor uma lei que proí­be a atribuição de propriedades medicinais às bebidas alcoólicas. Aproveitando a oportunidade, o jovem vindo do norte leva a cabo a autonomização da produção dos néctares, através dos mesmos processos artesanais, numa pequena fabriqueta.

Mas o nome do Licor Beirão não aparece por acaso. Em 1929 realizou-se um Congresso Beirão em Castelo Branco e o licor foi assim baptizado em homenagem ao encontro. São as dificuldades trazidas pela 2ª Guerra Mundial que fazem com que a fábrica seja vendida, em 1940, a um jovem, natural da Lousã, José Carranca Redondo, que ali trabalhou durante algum tempo. Com pouco mais de vinte anos e entretanto casado, decide investir as suas poupanças comprando a casa e o segredo, dedicando-se de corpo e alma ao licor que passou a ser fabricado pela mulher.

Desde então as vendas não pararam de crescer, tornando-se, na actualidade, no licor lí­der de mercado em Portugal. A empresa portuguesa exporta directamente para variadí­ssimos mercados... De acordo com a famí­lia Redondo, o Licor Beirão é exportado directamente para mercados como: Andorra, Angola, Austrália, Áustria, Bélgica, Bermudas, Brasil, Cabo Verde, República Dominicana, França, Alemanha, Hungria, Luxemburgo, Macau, México, Namí­bia, Holanda, Polónia, São Tomé e Prí­ncipe, África do Sul, Espanha, Suí­ça, Inglaterra e Estados Unidos, estando presente em mais de 80 paí­ses.

O Licor Beirão é marca lí­der no mercado dos licores em Portugal e, devido ao crescimento das suas vendas, a categoria de licores ultrapassou em 2006 a categoria de brandies e é actualmente a segunda mais importante no mercado de bebidas espirituosas. Estudos revelam que a marca apresenta uma notoriedade de 100%, sendo apontado em 39% como Top of Mind. O rejuvenescimento da marca é uma realidade, sendo seguido de perto pela famí­lia Redondo que cuida da marca como se um elemento dela se tratasse.

Uma Publicidade Irreverente

Desde os anos 50, a criar í­cones da publicidade em Portugal. Nos anos 50, uma campanha massiva nas estradas e cafés de Portugal deu a conhecer o Licor Beirão à maioria dos portugueses. O cartaz mais icónico é o da Tabuleta de madeira, com um pássaro pousado e a Serra da Lousã de fundo. Mais polémico foi o da Majorette americana, censurado pela escassez de roupa. Outro exemplo da genialidade visionária de José C. Redondo foi o autocolante «Não se esqueça de apertar as calças» colado nas casas de banho. Quem diria que, 50 anos depois, esta forma de publicitar seria uma das mais em voga nos restaurantes de Nova Iorque.

Campanhas mais recentes, como «O que é que se bebe aqui?» e «Patrocinador Não Oficial da Silly Season» mostram que o Licor Beirão continua a brindar os portugueses com o seu humor e a sua irreverência publicitária.

Em Novembro de 2005, na atribuição pela Associação Portuguesa de Anunciantes dos Prémios de Eficácia, o Licor Beirão foi distinguido com um prémio especial de reconhecimento pela eficácia da sua publicidade no século XX.

Ficha Técnica

Nome da empresa: J. Carranca Redondo, Lda.
Morada: Quinta do Meiral - 3200-095 Lousã
Telefone: 239 991 114
Nomes dos Proprietários: José, Maria Manuela e Suzana Maria Fernandes de Oliveira Redondo
Número de funcionários: 30
Ano de Fundação da Empresa: 1940
Site: www.licorbeirao.com